Friday, October 07, 2016

Rio para o mar


Dirigiu-se ao seu criado sempre mudo.Quis dizer-lhe umas verdades.Notou então que era também surdo e cego.Fechou os olhos .E tentou dormir mais uma noite com aquela angústia que a atormentava por dias a fio.Lembrou-se então.Que as lágrimas são rios da vida.Derreteu-se a chorar.Numa tentativa desesperada de logo desaguar no mar do esquecimento.

6 comments:

Dilmar Gomes said...

Texto poético, Lia. Um abraço. Tenhas um lindo fim de semana.

Maria Francisca said...

Oi, Lia. Muito bom. Gostei e vou visitar, sempre. Beijos.

Dorli Ramos said...

Oi Lia
Adorei
Volte sempre
Beijos no coração
Minicontista2

Marina Fligueira said...

Lia, ya es un bonito texto como prosa poetica. Me ha encantado.

Te dejo un beso, y se muy feliz.

Ricardo Tribin said...

Tienes un gran sentido poético.

Un gran abrazo.

Wellington Maia said...

Muito profundo e com uma dose perfeita de sensibilidade. Adorei

Abc

Wellington Maia